26-03
?
A gente vive de ilusões.
Pulp, Charles Bukowski.   (via acumulou)
?
Gosto das pessoas simples, que falam pouco e acabam dizendo tudo.
400.   (via retaliador)
?

Reaja a qualquer estímulo do ambiente. Seja um peixe e nade. Corra pela água. Corra pelo céu, logo, águia. Bata as asas. mosquito, seja isso também, borboleta e besouro. Lagarta, por que não? Sim, seja também um verme, como muitos homens e mulheres são quando perdem o ânimo. O ânimo, veja, não deve ser perdido. Você o perde de vista quando esquece o que é ser humano. Necessariamente ele some quando você menos espera. Não há sinais. O ânimo se esvai e você apenas vê a fumaça branca voando abstrativamente. Nem sequer imagina o que é a névoa. A fumaça é só fumaça. Ridículo. Não, melhor então deixar o verme na terra ou no corpo dos outros com suas verminoses. Seja planta, só não se deixe cortar. Reaja a todo e qualquer estímulo do meio. Enquanto for planta não pode, mas quando se reconstituir como humano, reaja. A reação do homem deve ser o sorriso. Da mulher o olhar. A reação deve ser condizente com o momento. O momento deve se moldar ao homem. O momento não é apenas o momento para os que têm ânimo. Reagir é ter ânimo. Reaja então, caro leitor, reaja de todas as formas possíveis, sejam elas geométricas ou planas. O problema é que reagir não tem uma forma certa, recuperar o ânimo tampouco. Se for peixe não apenas nade ou corra pela água. Se for águia, tome conta de suas asas e do céu. Reagir é levar o ânimo além do próprio ânimo. Reaja, amigo, a qualquer estímulo do teu habitat. Observe ao seu redor aquilo que se esconde mas se faz mostrar pela ponta ou detalhe. Vasculhe o olhar de quem passa, pince cada nuance dos fatos e impressões ao seu redor. Não subestime o gesto, ele antecipa o verbo e conduz ao destino inesperado em segundos. Ânimo, esteja pronto para engolir a maça de uma vez só. Mantenha-se atento ao toque casual, o tapinha nas costas pode ser um mal sinal. Destrinche o não entendido, reaja à seu próprio caos. Vibre, derrote qualquer tentativa de marasmo ou deite-se e faça seu corpo flutuar. Não temos forma exata nem um conjunto de botões prontos para serem ativados. Uma hora peixe, outra águia, nossa imagem tem silhueta languida e está propicia a mudar a qualquer momento. Seja adaptável sem perder sua autenticidade. Viaje. Escancare o teu corpo, estenda teus braços, abra teus dedos com as palmas voltadas para o infinito. Absorva tudo e desenhe uma flor. A palavra é dura mas conjugada com o espírito e a alma torna-se poderosa e capaz de atingir o impossível. A palavra de ordem é ânimo e este, por sua vez, é reação.

A.E.C Souza e Elisa Bartlett    (via oxigenio-dapalavra)
182

haikss:

<33333

timkarinn:

I thought this was going to be educational…. it was


^